Venda de tablets cresce no Brasil

Dados de um relatório divulgado pela IDC Brasil sobre o mercado de computadores no país durante o segundo trimestre de 2013 revelam que a venda de tablets cresceu 151% em relação ao mesmo período do ano passado. Foram comercializados 1,92 milhão destes equipamentos, o que ocupa um espaço de 35% do mercado de computadores. Esse número só não é maior que o de notebooks, que representam 38% das vendas. Já os desktops representam uma fatia de 27%.

O levantamento aponta também quais os sistemas operacionais favoritos dos consumidores de tablets. Em 95% dos casos, os aparelhos são baseados em Android. No ano passado, essa parcela era de 68%.

Outro ponto abordado pelo estudo é a faixa de preços. Os equipamentos com preço de até R$500,00 alcançaram um índice de 55% do total, com o preço médio dos tablets caindo de R$968,00 no segundo trimestre de 2012 para R$628,00 agora.

Segundo Pedro Hagge, analista da IDC, a procura por aparelhos de menor custo não influencia no investimento dos fabricantes: “Vale a pena salientar que os fabricantes estão fazendo investimentos para melhorar a qualidade e evitar a frustração dos consumidores. Em médio prazo, isso deve levar a uma elevação no preço médio dos tablets”, afirmou.

As expectativas de vendas de tablets para esse ano cresceram nesta última análise. Se ao final do primeiro trimestre a projeção era de 5,9 milhões de vendas, agora passou a ser de R$7,2 milhões, um crescimento de 120% em relação a 2012

“O Brasil é um mercado em ascensão para os tablets, com grande parte dos usuários comprando seu primeiro dispositivo. Nosso mercado continua muito sensível a preços, e os tablets são acessíveis para o poder aquisitivo do consumidor brasileiro”, diz Hagge.

Mercado Corporativo e Educação

Apesar do alto número de usuários domésticos (82%), o mercado corporativo cresceu no período avaliado. Além disso, o setor de educação também se destacou. Em pouco mais de um ano, 600 mil máquinas já foram entregues em escolas públicas, através de projetos como o ProInfo, do MEC.

Hagge aponta os dispositivos com sistema operacional Windows como tendência no segmento corporativo. “A entrada do Windows no mercado de tablets pode acelerar a adoção desses dispositivos pelas empresas, ao permitir a compatibilidade com aplicações corporativas para uso por trabalhadores remotos e também no próprio escritório”, diz o analista.